18 de febrero del 2001
Va al Ejemplar actual
PNUMAPNUD
Edición Impresa
MEDIOAMBIENTE Y DESARROLLO
 
Inter Press Service
Buscar Archivo de ejemplares Audio
 
Home Page
Ejemplar actual
Reportajes
  Análisis
  Grandes Plumas
  Acentos
  Entrevista y P&R
  Ecobreves
  ¿Lo sabías?
  Tú puedes
  Libros
  Galería
Ediciones especiales
Gente de Tierramérica
  ¿Quiénes somos?
Geojuvenil
Espacio de debate hecho por jóvenes y para Jóvenes
Geojuvenil
 
Cambio Climático
Proyecto de soporte a negociación ambiental

Cambio Climático

  Inter Press Service
Principal fuente de información
sobre temas globales de seguridad humana
  PNUD
Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo
  PNUMA
Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente

 
Conecte-se

Couraças marinhas

Desde a época dos dinossauros, ou mesmo antes, os oceanos deste planeta abrigam as tartarugas marinhas. No entanto, toda sua longa história não é suficiente para evitar o perigo de extinção, e seus nomes costumam aparecer em todas as "listas vermelhas" de espécies ameaçadas. No início do século XXI existem oito espécies de tartaruga marinha que habitam em diversos lugares do mundo. São répteis quelônios, herdeiros de tartarugas terrestres que em algum remoto momento da história natural escolheram habitar os oceanos.

As crias das tartarugas são diminutas, mas, com o tempo, algumas espécies podem alcançar um tamanho considerável: até dois metros de comprimento e 500 quilos de peso. Todas nascem nas praias, onde as mães colocam até uma centena de ovos, e depois se desenvolvem nas águas. As tartarugas marinhas são vulneráveis aos depredadores naturais, mas, seus maiores problemas de subsistência são ocasionados pelos humanos. Para começar, o estilo de vida dos humanos alterou as condições em numerosas praias de desova e poluiu as águas. Além disso, elas também devem lidar com seres humanos que as depredam por sua carne, seus ovos, suas couraças ou, por acidente, quando ficam presas nas redes de pesca.

Essa vulnerabilidade determinou que a luta para conservá-las seja emblemática. Na Internet já há numerosos sites dedicados às tartarugas marinhas. Fora da rede há uma grande quantidade de iniciativas para protegê-las, inclusive uma Convenção Interamericana sobre a Proteção e Conservação destas espécies. Os perigos que enfrentam são apontados pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) em sua lista vermelha. As oito espécies estão protegidas pela Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Silvestres (CITES). Nos dois sites pode-se buscar pela palavra "tartaruga", ou seu equivalente em inglês "tortuga".

Para navegar na Internet em busca das tartarugas também podem ser visitados os seguintes sites:

Portal europeu das tartarugas marinhas (em inglês)
Portal das tartarugas marinhas - Projeto Tamar (em português, espanhol e inglês)
Portal das tartarugas marinhas do Caribe. (em inglês)
As tartarugas marinhas (em espanhol)
Texto da Convenção Interamericana para a Proteção e Conservação das Tartarugas Marinhas (em espanhol, segundo publicação do governo da Costa Rica)
Diretório de sites 1
Diretório de sites 2
Selos com tartarugas marinhas



 

Copyright © 2001 Tierramérica. Todos los Derechos Reservados

 


Tortuga golfina de Oaxaca, México
  Tortuga golfina de Oaxaca, México