Va al Ejemplar actual
PNUMAPNUD
Edición Impresa
MEDIOAMBIENTE Y DESARROLLO
 
Inter Press Service
Buscar Archivo de ejemplares Audio
 
  Home Page
  Ejemplar actual
  Reportajes
  Análisis
  Acentos
  Ecobreves
  Libros
  Galería
  Ediciones especiales
  Gente de Tierramérica
                Grandes
              Plumas
   Diálogos
 
Protocolo de Kyoto
 
Especial de Mesoamérica
 
Especial de Agua de Tierramérica
  ¿Quiénes somos?
 
Galería de fotos
  Inter Press Service
Principal fuente de información
sobre temas globales de seguridad humana
  PNUD
Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo
  PNUMA
Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente

 
Conecte-se

 

Ar em movimento

O vento percorre sem cessar todos os rincões do planeta, apresentando suas diversas faces, desde brisa quase imperceptível até potentes furacões. Em todos os casos, entretanto, trata-se de um fenômeno que tem uma única definição: é "ar em movimento". Apesar da onipresença do vento na vida dos humanos, não é fácil encontrar informação sobre sua natureza na Internet. Muitas buscas terminam em sites dedicados ao seu uso como fonte de energia eólica ou ao uso da palavra no sentido figurado: passageiro, efêmero, o que nunca se detém ou o que pode alcançar níveis de tormenta.

Um pouco mais profundamente entretanto, surgem os sites que explicam sua existência. E pode-se dizer que sua origem é solar, já que é produzido pelo aquecimento desigual da superfície terrestre, o que, por sua vez, cria zonas de altas e baixas pressões. As diferenças provocam o movimento das massas de ar. Existem vários tipos de ventos classificados pelos cientistas, e também foram desenvolvidas escalas com a de Beaufort para defini-los segundo sua intensidade, começando pela brisa e terminando em tempestadas-furacão com efeitos devastadores.

A velocidade do vento é medida com o anemômetro. Este pode ser um aparelho sofisticado, mas, também é possível fabricar versões caseiras. A informação recolhida é um insumo importante para os produtores de energia eólica, que têm no vento uma fonte de poder limpa e abundante. A influência do vento na vida é enorme. Na natureza, uma de suas funções mais especiais é a de veículo para a polinização. No caso dos humanos, impulsiona seus barcos e move seus moinhos e, inclusive, serve para alimentar sua imaginação.

O vento: definição e características (em espanhol)
Classificação dos ventos (em espanhol)
O que é o vento? (em espanhol)
Definições: vento, ventos alísios, etc. (em espanhol)
Escala Beaufort: a força do vento (em espanhol)
Escala da força dos ventos de Beaufort (em português)
Conto infantil: O Vento que se Disfarçou de Brisa (em espanhol)
Medição do vento: anemômetros (em espanhol)
Construir um anemômetro (em espanhol)
Enciclopédia: o vento (em inglês)
Vento solar (em português)
Estudo do vento aparente (em português)
Ação Geológica do Vento (em português)
O que é um anemômetro? (em português)
Anemômetro comum - foto (em português)
Instrumentos de Medida da Metereologia (em português)

Insegurança alimentar

A fome é a mais tenebrosa das carências e, apesar de todos os avanços tecnológicos e sociais registrados pela humanidade, ainda afeta mais de 800 milhões de pessoas em nosso planeta. De maneira um pouco mais técnica, fala-se de "insegurança alimentar". É o que ocorre quando as pessoas passam fome e temem morrer de inanição, segundo uma definição existente no site da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, mais conhecida como FAO.

A FAO convocou para novembro de 2002 uma Cúpula Mundial sobre Alimentação, cujo tema principal é a necessidade de intensificar o combate à fome. Os delegados deverão revisar os avanços obtidos desde a Cúpula anterior, de 1996. Nessa oportunidade foi subscrita a Declaração de Roma, um compromisso de reduzir à metade o impacto da fome no mundo até 2015. No entanto, pouco se avançou e será difícil cumprir essa meta.

Um dos propósitos da cúpula é reforçar a vontade política para combater a fome. Na Internet há inúmeras páginas sobre o assunto, contendo desde informações sobre emergências do Programa Mundial de Alimentos até propostas de ação política sugeridas por organizações de ativistas.

FAO (em inglês)
Cúpula Mundial sobre a Alimentação, 2002 (em inglês)
Cúpula Mundial sobre a Alimentação, 1996 (em inglês)
Declaração de Roma sobre segurança alimentar (em inglês)
O estado da insegurança alimentar (em inglês)
Programa Mundial de Alimentos (em inglês)
Projeto para um tratado sobre segurança alimentar (em inglês)
Educativo: alimentar a mente para combater a fome (em espanhol)
Ação contra a Fome (em espanhol)
Diretório Yahoo!: sites sobre fome e segurança alimentar (em inglês)
Site da Fome no Brasil (em português)
ClickFome (em português)
Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e Pela Vida (em português)
Banco de Alimentos (em português)

Rochas espaciais

Os asteróides alimentam sem cessar nosso imaginário sobre o espaço exterior. Sabemos que são corpos rochosos de tamanho relativamente pequeno, habitantes do sistema solar. Também estamos conscientes do perigo de se chocar com algum deles... A noção deste perigo foi alimentada por algumas milionárias produções de Hollywood, que, por sua vez, foram inspiradas em uma popular hipótese científica: o choque de um asteróide há milhões de anos provocou traumas tão fortes que inclusive teria causado a extinção de uma espécie dominante, os dinossauros.

Imensas crateras também servem como registro desses traumas de origem espacial. O perigo é considerado uma verdadeira ameaça por alguns cientistas. A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) tem um serviço de observação de objetos que se aproximam muito da Terra. Este mês, dois asteróides passaram a uma distância incomum. Um deles, com mais de um quilômetro de diâmetro, esteve a 11 milhões de quilômetros de nosso planeta, o que não é muito, em termos espaciais.

Na Internet, há numerosas páginas web dedicadas a explicar a natureza de asteróides e cometas. Os corpos que eventualmente entram em contato com a atmosfera, mesmo os de tamanho pequeno, são chamados de meteoros. Segundo uma definição encontrada na Internet, os que sobrevivem a esse encontro e chegam à Terra são meteoritos. Estes podem resultar de desprendimentos de asteróides ou mesmo de planetas, por isso são objeto de grande quantidade de pesquisas, refletidas em abundante informação. E cativam os humanos, que os "caçam" para analisá-los ou mesmo vendê-los a colecionadores.

Nasa: asteróides e cometas (em inglês)
Nasa: vigilância de asteróides e cometas (em inglês)
Os nove planetas: corpos menores (em espanhol)
Introdução aos asteróides (em português)
Organização Internacional de Meteoros - IMO (em inglês)
IMO: links sobre meteoritos (em inglês)
Simulação de um impacto (em inglês)
Meteorite Central: caçadores de meteoritos (em inglês)
Yahoo!: cometas, meteoritos, asteróides (em inglês)
Astronomia no Zênite (em português)


 

Copyright © 2001 Tierramérica. Todos los Derechos Reservados

 

 

Crédito: FAO foto 18497
Crédito: FAO foto 18497

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Crédito: FAO foto 17657
Crédito: FAO foto 17657

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Asteróide Ida
Asteróide Ida CRÉDITO Nasa asteróide homepage